Sobre

Blog

apple.png
google.png
  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • LinkedIn - círculo cinza

Para empresas

Loja

Contato

  • RadarFit

CINCO DICAS PARA SE ALIMENTAR MELHOR E LEVAR UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL.

Embora a máxima sobre a igual importância entre a maneira que se come e o que se come seja verdadeira, ainda é comum que o hábito de fazer dietas e regimes restritivos seja perpetuado como uma maneira de melhorar a relação com a comida, o que é uma grande mentira.

Por Victoria Oliveira

Embora a máxima sobre a igual importância entre a maneira que se come e o que se come seja verdadeira, ainda é comum que o hábito de fazer dietas e regimes restritivos seja perpetuado como uma maneira de melhorar a relação com a comida, o que é uma grande mentira. Com a construção milenar entorno de um corpo perfeito e irreal, o que nos resta são as consequências nocivas de uma pressão estética e, com isso, a relação com o ato de comer potencializa sentimentos atrelados à culpa e a baixa-estima, de modo, que optemos por uma alimentação restritiva amarrada a expectativa de magreza. A maneira com a qual nos relacionamos com a comida e nosso corpo interfere diretamente em como comemos e porque comemos, seja um prato de salada ou uma fatia de pudim. Os sentimentos e pensamentos relacionados ao comer refletem muito mais que hábitos alimentares; no fundo, refletem o comportamento alimentar e social. Por este motivo, preparamos para você 5 dicas de como manter uma relação saudável com a alimentação e, acima de tudo, com você mesmo. 1- PARE DE TENTAR SE RESTRINGIR! Um cardápio que exclua um ou mais grupos alimentícios em prol da perda de peso é raramente saudável (a menos, é claro, que seja prescrito por um médico ou nutricionista por determinadas razões outras), isso porque edificar uma alimentação excludente como hábito, exige uma grande diligência emocional que não pode ser sustentada na expectativa de atingir um corpo irreal, expectativa essa que não foi construída por você. De qualquer modo, uma dieta extremamente restritiva pode vir a se tornar um fator de risco para a compulsão alimentar e ansiedade, além do que, pode até gerar o “temido” efeito sanfona. 2- O MITO DA BELEZA. Reflita sobre o que te faz almejar por um determinado corpo! O mito da beleza escrito pela conceituada Naomi Wolf e lançado pela primeira vez em 1990, apresenta uma discussão interessantíssima acerca de como e porque um padrão de beleza é construído, de que modo essa construção move mercados e quais distorções sobre bem estar e saúde giram em torno desses paradigmas. Dessa forma, a leitura deste incrível livro pode te ajudar a entender como manter uma relação sadia com sua alimentação e seu corpo. 3- REEDUQUE-SE! Privar-se de comer o que deseja não é a solução, muito pelo contrário. Dividir os alimentos em permitidos e proibidos é uma visão reducionista. É resumir algo complexo demais para ser resumido. Gera culpa, aumenta o desejo pelos alimentos proibidos… Enfim, uma boa dica é optar pela reeducação alimentar e não pela dieta. A primeira é pautada na relação saudável com a comida, é pensada a longo prazo para que ocorra, de forma definitiva, uma alimentação saudável, regrada e nem um pouco restritiva. 4- TENTE SENTIR PRAZER COMENDO. A culpa é muito comum quando se estabelece uma relação nociva com a comida, tente se desvincular dessa noção errônea de que comer bem é se privar total e absolutamente dos carboidratos e açúcares, não é. A alimentação também é um estopim para o prazer e aceitar isso é um dos pilares para uma relação saudável com seu bem-estar. Pensar o equilíbrio na hora de comer é entender que não tem nada de errado em comer o que você tem vontade, é necessário somente consciência do que, de fato, te faz bem. 5- PRATIQUE ESPORTES, DIVIRTA-SE! O bem estar e a qualidade de vida não dependem unicamente da sua alimentação, para alcançá-los é preciso estabelecer uma relação saudável entre o seu corpo e exercícios físicos. Assim, praticar de forma rotineira alguns esportes ou atividades físicas no geral, proporcionam uma noção emocional de que a saúde pode sim ser uma meta real. Enfim, a relação que mantemos com nosso corpo e, por conseguinte, com nossa alimentação são sim muito complexas, a autoaceitação e a relação saudável com a comida são perspectivas que exigem atenção diária. Assim, seja legal consigo mesmo, atente-se ao fato de que as expectativas podem ser irreais e que talvez elas não tenham sido construídas por você. Agora que você leu um pouquinho sobre como ter uma relação saudável com seu corpo e sua alimentação, que tal aprender um pouquinho sobre as diferenças entre dieta e reeducação alimentar?

1 visualização