• RadarFit

COMER POUCO PARA EMAGRECER É UM MITO?

A ciência tem comprovado que comer pouco nas dietas não ajuda a afinar, pelo contrário: na baixa ingestão calórica podemos até perder peso (e saúde), mas nem sempre afinamos e isso ocorre pelo fato de que também perdemos massa magra nesse processo.


Por Daniela Zschaber

A ciência tem comprovado que comer pouco nas dietas não ajuda a afinar, pelo contrário: na baixa ingestão calórica podemos até perder peso (e saúde), mas nem sempre afinamos e isso ocorre pelo fato de que também perdemos massa magra nesse processo.


As dietas baseadas em um drástico déficit calórico limitam nossa alimentação nos deixando sempre em uma condição de fome, fazendo com que, consequentemente, o nosso corpo reconheça que seja necessário estocar energias. Por essa condição, nossas reservas, incluindo nossos músculos, vão sendo queimadas.


Como resultado de uma fome constante, a falta de energia para exercícios corriqueiros e práticas diárias gera a perda de massa magra. Essa situação é uma adaptação natural do corpo em prol da sobrevivência. As dietas com uma grande restrição de calorias têm seus resultados limitados por serem difíceis de manter, porque, com o tempo, o corpo tenta voltar ao estado anterior.


Aos olhos dos profissionais da saúde, sobretudo nutricionistas, as dietas restritivas fazem um mal danado à saúde. O seu metabolismo acaba por ser uma vítima dessas grandes restrições: essas dietas desregulam os mecanismos da fome e podem levar a distúrbios alimentares.


Por que a mudança de hábitos, sem nos esquecermos da saúde mental, interfere tanto no processo de emagrecimento? Um grande exemplo de como o bem-estar é importante para o emagrecimento, é que pode ser comprovado que o estresse engorda e incha, isso porque age diretamente nos nossos neurotransmissores, liberando cortisol, gerando certa retenção de líquido.


Por que ter uma dieta balanceada e procurar a ajuda de um profissional? Em cima da sua alimentação, um profissional vai elaborar uma “dieta balanceada” individual, mantendo a mesma proporção de macronutrientes necessários (gorduras, carboidratos e proteínas), somente reduzindo a quantidade de cada um, para gerar o emagrecimento com um déficit calórico equilibrado.


Antes de pensar que a sua dificuldade em perder peso está relacionada a algum problema com o seu organismo, reveja seus hábitos frente aos alimentos. De nada adianta comer pouco e possuir uma dieta baseada em frituras e açúcares. A questão principal é a qualidade daquilo que você ingere e não apenas a quantidade. E celebre: reverter esse quadro é bem mais fácil do que resolver qualquer disfunção alimentar.

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • LinkedIn - círculo cinza